Eu não vou ficar fazendo joguinhos com você

4338
0
Compartilhe:

Eu não vou ficar fazendo joguinhos com você

Eu não vou entrar nesse seu joguinho de quem demonstra menos. Não vou fazer parte dessa nova onda de assassinatos aos sentimentos. Não vou fazer parte do clubinho dos desapegados. Me desculpa, mas eu não vou, não dá pra mim.

Eu não vou deixar de te chamar pra conversar quando a vontade bater, nem cortar palavras das minhas mensagens por medo de fazer textão perto dos seus caracteres tão limitados. Não vou deixar de ligar no meio da noite quando não estiver conseguindo dormir direito com saudades suas.

Eu não vou deixar de demonstrar preocupação quando você voltar sozinho pra casa de madrugada, nem deixar de te marcar naquelas imagens lindas que aparecem no meu feed de notícia todo dia de manhã.

Eu simplesmente não vou deixar de demonstrar, não vou deixar de sentir por uma besteira que o mundo todo tá fazendo de dizer exatamente o contrário do que tá  com vontade de dizer.

Porque pode até ser que você acredite que precisa se proteger, que demonstrar amor é fraqueza ou sei lá qual foi a desculpa que você usou pra começar a agir assim, pode até ser que ela tenha um fundo de verdade ou que o seu jeito de levar as relações esteja certo e o meu errado, mas eu simplesmente não consigo sentir menos, demonstrar menos.

Eu ainda sou daquelas que hoje em dia todo mundo taxa de piegas. Daquelas que acredita que o amor é a coisa mais bonita do mundo. E é verdade, eu acredito sim, com todas as forças que existem em mim, que não tenha nada mais bonito que sentir um amor com toda a sua alma, todo seu coração colocado ali.

Eu ligo de madrugada, chamo pra tomar café, pra almoçar, pra tomar sorvete de tarde e uma ceva de noitinha, chamo pra jantar, passo o dia coladinha e de noite já mando mensagem dizendo que tô morrendo de saudade. Eu falo eu te amo sempre que dá vontade, mesmo que isso seja de cinco em cinco minutos. Eu coloco foto bonitinha no celular, nas redes sociais e até no mural que fica na parede ao lado da minha cama. Faço desenhos e até poesia. Eu sinto por inteiro, em cada segundo.

E eu sei que eu tô indo contra a maré, que ninguém mais quer se apegar e que os relacionamentos viraram essa troca de desapego e de quem consegue demonstrar menos. Mas eu simplesmente não consigo não mostrar que eu te amo.

Deixe uma resposta

Pular para a barra de ferramentas Sair